EnglishEsperantoFrenchGermanItalianPortugueseSpanish
EnglishEsperantoFrenchGermanItalianPortugueseSpanish
 

silencioMais do que desejada, a suprema felicidade é o destino final de todos os homens, pois Deus criou-os para serem felizes na eternidade. Essa meta tão promissora exige a perfeição, que é construída ao longo da vida, em cada existência ou encarnação.

Na questão 919 de O livro dos espíritos, consta que conhecer-se a si mesmo é o meio prático mais eficaz que tem o homem de se melhorar nesta existência e de resistir à atração do mal. A seguir, alguns aspectos do que é o ser humano.

O homem é um espírito imortal que possui um corpo, ligados pelo perispírito. Todos os seres humanos são iguais quanto à origem, à essência e à destinação. Diferem quanto a aspectos individuais e ao grau de evolução já atingido. A origem espiritual é divina. O espírito imortal, essência de cada um, foi criado por Deus simples e ignorante, é inteligente e perfectível. Tem como destino a perfeição e a felicidade plenas, que serão conquistadas com as próprias obras externas e internas, o que dá trabalho, mas que é possível, uma vez que Deus dá de graça, para todos, os meios intrínsecos e extrínsecos a fim de que cada um, a seu tempo, e em função do próprio esforço, utilizando os talentos, chegue à finalidade almejada.
Além dessas características comuns a todos, dado o grau evolutivo em que a maioria encontra-se na Terra, o ser humano, apesar de possuir talentos e virtudes, também poderá ter vícios e imperfeições, sendo que são exigidos esforço, vigília e auxílio para superá-los. Nos evangelhos consta ou a psicologia reconhece que o homem pode ter medos, orgulho, tendências de observar mais os defeitos alheios do que os próprios, inclinação para utilizar mecanismos de defesa etc.
Reconhecer-se grandioso pelo que é, pelas suas origem, essência e destinação, bem como reconhecer que possui limitações e vícios, que podem ser superados, é muito importante, pois são, respectivamente, uma das causas e consequência o autoconhecimento e a felicidade.
Fonte: Departamento Doutrinário da Liga Espírita Pelotense.
Publicado na coluna da Liga Espírita Pelotense no dia 22 de Julho de 2012 – JORNAL DIÁRIO POPULAR.

Loja de Livros

Procure um Livro

Publicações Recentes