EnglishEsperantoFrenchGermanItalianPortugueseSpanish
EnglishEsperantoFrenchGermanItalianPortugueseSpanish

Chico Xavier é uma personalidade religiosa das mais queridas da nação.Chico_Xavier_1 Psicografou 451 livros, sendo 39 publicados após a morte. Nunca admitiu ser o autor de nenhuma dessas obras. Reproduzia apenas o que os espíritos lhe ditavam. Por esse motivo, não aceitava o dinheiro arrecadado com a venda de seus livros.
Vendeu mais de 50 milhões de exemplares em português, com traduções em inglês, espanhol, japonês, esperanto, italiano, russo, romeno, mandarim, sueco e braile. Psicografou cerca de 10 mil cartas de mortos para suas famílias. Cedeu os direitos autorais para organizações espíritas e instituições de caridade, desde o primeiro livro. Mesmo não tendo ensino completo ele escrevia em torno de 6 livros por ano entre eles livros de romances, contos, filosofia, ensaios, apólogos, crônicas, poesias… É o escritor mais lido da América Latina. (nota: ano de 2010). Seu primeiro livro, Parnaso de Além-Túmulo, com 256 poemas atribuídos a poetas mortos, entre eles os portugueses João de Deus, Antero de Quental e Guerra Junqueiro, e os brasileiros Olavo Bilac, Cruz e Sousa e Augusto dos Anjos, foi publicado pela primeira vez em 1932. O livro gerou muita polêmica nos círculos literários da época. O de maior tiragem foi Nosso Lar, publicada no ano de 1944, atualmente com mais de 2 milhões de cópias vendidas, atribuído ao espírito André Luiz. Uma de suas psicografias mais famosas, e que teve repercussão mundial, foi a do caso de Goiânia em que José Divino Nunes, acusado de matar o melhor amigo, Maurício Henriques, foi inocentado pelo juiz que aceitou como prova válida (entre outras que também foram apresentadas pela defesa) um depoimento da própria vítima, já falecida, através de texto psicografado por Chico Xavier. O caso aconteceu em outubro de 1979, na cidade de Goiânia, Goiás. Assim, o presumido espírito de “Maurício” teria inocentado o amigo dizendo que tudo não teria passado de um acidente.  Chico Xavier, foi eleito o mineiro do século XX, seguido por Santos Dumont e Juscelino Kubitschek. As entidades representativas do Espiritismo no Brasil através da Federação Espírita Brasileira, devotam a sua gratidão e respeito ao médium, pelos intensos trabalhos por ele desenvolvidos, pela vida de exemplo, voltado ao estudo, à difusão, à prática do Espiritismo, à orientação, ao atendimento, à assistência espiritual e material aos seus semelhantes.
Fonte: Departamento Doutrinário da Liga Espírita Pelotense

Publicado na coluna da Liga Espírita Pelotense no dia 21 de Agosto de 2011 – JORNAL DIÁRIO POPULAR

Loja de Livros

Procure um Livro

Publicações Recentes