EnglishEsperantoFrenchGermanItalianPortugueseSpanish
EnglishEsperantoFrenchGermanItalianPortugueseSpanish

O ser humano tem referências e empenha-se em segui-las e imitá-las. Num primeiro momento é o pai e/ou a mãe. Em seguida, um irmão, um parente, um amigo. Depois, vem professor(a), cantor(a), líder político, etc. Devido a isso, existem  modas e modismos. O exemplo observado ou conhecido é altamente contagiante. Isso é dinâmico, porque temos “a beleza de ser um eterno aprendiz”. Somos, sempre, seres em construção.

Afortunadamente, temos livre-arbítrio e assim podemos escolher nossos exemplos.
Apesar do grito dos violentos, como disse Luther King, e dos maus serem intrigantes e audaciosos e, por isso, no mundo, tão amiúde, a influência deles sobrepujar a dos bons (questão 932 de O livro dos espíritos), muito mais do que se supõe, há na Terra homens isentos de egoísmo e praticantes da caridade, como consta na questão 915 do mesmo livro. Mas, como confirmam os benfeitores espirituais na questão 625 da obra citada, Jesus é o tipo mais perfeito que Deus tem oferecido ao homem para lhe servir de guia e modelo. Guia é para ser seguido e modelo é para ser imitado. Claro que é necessário conhecê-lo. Além dos Evangelhos que nos informam sobre as qualidades intelectuais e morais de Jesus, bem como sobre algumas de Suas realizações no bem, em A caminho da luz, livro de Emmanuel, psicografia de Chico Xavier, temos notícia de que Jesus é “o artífice e governador” da Terra, desde o seu surgimento, passando pelas transformações, até os dias de hoje. E Ele nos diz, em João 14:12, “aquele que crê em mim fará as obras que eu faço” e, convém lembrar, que será dado “a cada um segundo as suas obras” (Mateus 16:27). Em nosso estágio evolutivo, fiquemos com o que diz Joanna de Ângelis em Jesus e o Evangelho – À luz da psicologia profunda, cap. VI: “Ante os desafios mais vigorosos e as situações mais inclementes, ‘permanecer’ nos ideais de beleza, não ceder espaço ao mal, não negociar com as sombras, permanecendo-se verdadeiro, luminoso, de consciência reta, decidido – eis a Sua proposta, conforme Ele próprio a viveu.”
Quando se faça qualquer exaltação de Jesus, convém lembrar mais este ensinamento dEle, em Mateus 7:21: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.” Como vemos, em qualidades, realizações e ensinamentos, Jesus é guia e modelo.

Fonte: Departamento Doutrinário da Liga Espírita Pelotense

 

Publicado na coluna da Liga Espírita Pelotense no dia 26 – Dezembro – 2010

JORNAL DIÁRIO POPULAR

Loja de Livros

Procure um Livro

Publicações Recentes