EnglishEsperantoFrenchGermanItalianPortugueseSpanish
EnglishEsperantoFrenchGermanItalianPortugueseSpanish

 

Nos Evangelhos tem a recomendação:“Vigiai e orai, para que não entreis em tentação;” (Mt 26:41; Mc 14:38), aplicável a muitas situações da vida, como para evitar vícios. A iniciação nestes ocorre devida a muitas causas. Por exemplo: curiosidade, fazer o que não se anima sem alterar o estado de consciência, apelo de propagandas e de traficantes, fuga momentânea a desconforto psicológico, meio de convivência e de aceitação

Neste último caso, é significativa a letra da música Hoje quem paga sou eu, cantada por Nelson Gonçalves.
Devido ao orgulho, temos inibição ou timidez e ouvindo a voz da consciência, evitamos o mal. Então, para fazer certas coisas, até mesmo buscando um álibi, alguns se embriagam ou entorpecem-se. Na questão 848 de O livro dos espíritos, ao serem estes questionados se “Servirá de escusa aos atos reprováveis o ser devida à embriaguez a aberração das faculdades intelectuais?”, responderam que “Não, porque foi voluntariamente que o ébrio se privou da sua razão, para satisfazer a paixões brutais. Em vez de uma falta, comete duas.”
No capítulo XVII, item 2, de O Evangelho segundo o Espiritismo, consta que vícios e defeitos alteram o sentimento da caridade, “porque todos têm seu princípio no egoísmo e no orgulho”. Vícios podem levar à morte, antecipadamente, o que se constitui em suicídio continuado ou indireto, o que é muito mais deplorável do que aquele cometido instantaneamente, como nos esclarecem os espíritos superiores na resposta à questão 952 de O livro dos espíritos. Outra razão para evitarmos vícios, é nos pouparmos de vampirismo por espíritos que, pela lei da sintonia, imantam-se aos viciados. Paulo, epístola a Tito, 1:7, destaca a importância de “não ser dado ao vinho”.          
Muitos médicos recomendam beber … muita água, dois lisos ao levantar e vários durante o dia, pois é bom para a saúde e beleza, dizem, o que a experiência comprova.
É bom evitar tragos, não beber alcoólicos socialmente e nem experimentar outras drogas. Assim, estaremos evitando o mal, pois é bem melhor prevenir do que remediar. 
 

Fonte: Departamento Doutrinário da Liga Espírita Pelotense

Publicado na coluna da Liga Espírita Pelotense no dia 27-Fevereiro-2011 – JORNAL DIÁRIO POPULAR

Loja de Livros

Procure um Livro

Publicações Recentes