EnglishEsperantoFrenchGermanItalianPortugueseSpanish
EnglishEsperantoFrenchGermanItalianPortugueseSpanish

 

Um executivo muito bem-sucedido e informado foi fazer um passeio turístico.  Para a travessia de uma à outra margem do rio, alugou uma canoa que era conduzida por um pescador.
Durante o percurso, o executivo perguntou ao pescador:
– Você sabe ler e escrever?
– Não, sou analfabeto – respondeu o pescador.
O executivo então lhe disse:

– Você está perdendo parte da sua vida por não saber ler e escrever.
E o pescador continuou o percurso.
Mais adiante o executivo fez outra pergunta:
– Você entende de política?
– Não, senhor, pois nunca pude estudar – respondeu o pescador.
O executivo mais uma vez sentenciou:
– Você está perdendo uma boa parte da vida. 
A canoa, continuando seu curso, bateu numa pedra.  O pescador perguntou então ao executivo:
– O senhor sabe nadar?
– Não – respondeu ele, desesperado.
O pescador tranqüilamente completou:
– Pois então o senhor vai perder sua vida toda, pois a canoa está afundando. 
Atualmente nós nos preocupamos muito em estar bem informados, fazer cursos, falar outras línguas. Tudo isso é importante, principalmente no mundo de hoje, cheio de tantas informações, onde as coisas mudam a cada segundo.  Mas não podemos nos esquecer do essencial, das coisas simples.  De nada adianta sabermos tanto, termos tanto… E não sermos nada.  Muitas vezes somos como esse executivo: valorizamos muito o ter e o saber e desprezamos a essência do ser. 

Fonte: livro – Para Que Minha Vida se Transforme / Autoria de Maria Salette e Wilma Ruggeri – editora Verus.

“No Mundo Espiritual, muita gente vai se surpreender… Lá, não seremos identificados pela importância, ou melhor, pela nossa suposta importância no mundo… Gente há que desencarna imaginando que as portas do Mundo Espiritual irão lhes escancarar… Ledo engano!  Ninguém quer saber o que fomos, o que possuímos, que cargo ocupávamos no mundo.  O que conta é a luz que cada um já tenha conseguido fazer brilhar em si mesmo.  Esse negócio de ter sido fulano de tal interessa à consciência de quem foi e, na maioria das vezes, se complicou… Os Espíritos são indiferentes a essas coisas, quase frios aos rótulos que supervalorizamos e ao convencionalismo – coisas que nos fazem supor o que não somos…”
                                                                                             Chico Xavier

 

Publicado na coluna da Liga Espírita Pelotense no dia 13-Fevereiro-2011 – JORNAL DIÁRIO DA MANHÃ

Loja de Livros

Procure um Livro

Publicações Recentes