EnglishEsperantoFrenchGermanItalianPortugueseSpanish
EnglishEsperantoFrenchGermanItalianPortugueseSpanish
fotoCasa

HORÁRIOS

 

Fundado em 27 de maio de 1948

Pesquisa baseada no livro História do Espiritismo em Pelotas de Lauro Enderle

No dia 27 de maio de 1948, reuniram-se na sede do C. E. Francisco de Jesus Vernetti, no velho sobrado, várias senhoras, integradas no movimento espírita de Pelotas, com a finalidade de fundar uma obra social, de amparo às pessoas com necessidades sócio-econômicas, incluindo crianças de todas as idades. Naquela quinta-feira, à tarde, foi fundado o “Roupeiro do Pobre”, formando sua primeira diretoria com as seguintes irmãs: presidenteLylia Carbonell Gardelli, Iider do movimento e que lançou a idéia da fundação da entidade; secretária – Maria da Costa Enderle; tesoureira – Lucília Araújo Oliveira. Foram ainda fundadoras e assinaram a ata de instalação da obra social as seguintes senhoras: Vanda Bandeira da Silva, Tolentina B. Carbonell,  Adolfina Scardigli, Hercília Ribeiro de Mattos, Hilda Correa Oliosi, Diva A. dos Santos, Francisca Veloso da Silva, Hemengarda Ceciliano Luzzardi e, as então jovens Alda Tavares, as irmãs Barros,  Léa e Eloy Cruz, e Leda Bacci, num total de 17 pessoas.A entidade se manteve no local durante quatro anos, surgindo em 1952 uma obra  mais ampla, inclusive mudando sua denominação com o  registro dos estatutos, de “Roupeiro do Pobre” para Instituto Espírita Nosso Lar, que se propunha a atender crianças na faixa etária  de zero a seis anos, através de uma creche, cuidando assim dos pequenos durante o dia, enquanto suas mães trabalhassem. Com Lylia Carbonell,  ainda na presidência da entidade, foi adquirido um terreno, onde está hoje localizado o Parque Tênis Clube, e as obras foram  iniciadas.

Mas, por falta de recursos financeiros, a obra parou. Aliás, o que foi construído ali está até hoje, uma vez que aquele clube social fez uma permuta com a instituição, dando uma certa quantia em dinheiro e mais um amplo terreno defronte á firma HP, na avenida Salgado Filho, 620. Uma grande transação fez a entidade. Era mais adiante, mas um terreno de 100m x 100m, uma quadra inteira. Assim que, já na década de 60, foi inaugurada a sede própria daquela importante obra social do espiritismo, hoje considerada de Utilidade Pública.Além do atendimento às  crianças na creche, com todos os cuidados próprios da idade, que ali são entregues às oito horas, sendo recolhidas pelas mães às cinco horas da tarde, a entidade realiza trabalhos espirituais com regularidade, bem como de orientação e instruções aos responsáveis pelos atendidos durante a semana. Lylia Carbonell Gardelli reside hoje em Porto Alegre (1984), e a casa está sendo presidida por José Maria Saraiva de Oliveira, auxiliado pela esposa, Helena Saraiva de Oliveira, bem como por muitos outros confrades de diretoria. Responde pela tesouraria o incansável irmão Edevaldo Milbraths Born, cargo que ocupa faz alguns anos. A entidade mantém vários funcionários remunerados, em razão do intenso serviço no atendimento dos pequeninos. Conta com bom número de associados, além de subvenções municipal e estadual. Um confrade que merece constar neste histórico, pela sua valiosa colaboração, é o companheiro Frederico Müller Júnior, que ali milita há muitos anos, desde o início da construção da sede. É o homem que consegue todos os meses recursos financeiros e provisão de alimentos. É filiada à Liga Espírita Pelotense e à Federação Espírita do Rio Grande do Sul.

Presidiram a Entidade:

Lylia Carbonell Gardelli
José Maria Saraiva
Zely Quevedo Nunes Tavares
Elaine Sclowitz