EnglishEsperantoFrenchGermanItalianPortugueseSpanish
EnglishEsperantoFrenchGermanItalianPortugueseSpanish

marlene nobre 2
Marlene Nobre

Entrevista com Dra. Marlene Nobre por Claudia Santos

 
MEDICINA DA ALMA
A 9ª edição do Mednesp – Congresso Nacional Médico-Espírita do Brasil reunirá membros de 53 Associações Médico-Espíritas do Brasil (AMEs) e internacionais, profissionais da Saúde e o público geral para discutir as mais recentes pesquisas sobre ciência e espiritualidade com o tema “Os desafios do paradigma médico-espírita no ensino, na pesquisa e na prática clínica”. O evento, organizado pela AME-Brasil, acontecerá de 29 de maio a 1º de junho, no Centro de Convenções de Maceió (AL).

“Nesta edição, vamos discutir os assuntos de saúde não somente com o grande público, mas também entre nós, médicos. Vamos abordar assuntos científicos mais profundos a fim de trabalharmos no desenvolvimento e na implantação do paradigma médico-espírita”, afirma Marlene Nobre, ginecologista e presidente da AME-Brasil. As palestras terão como objetivo mostrar os estudos e trabalhos médicos que usam a fé, a oração e a espiritualidade como participantes nos tratamentos e processos de cura. “Também vamos expor assuntos de saúde que sejam úteis ao público fiel, que nos tem acompanhado há cerca de 20 anos e que se amplia a cada ano, pois vem ao encontro dos anseios de progresso da própria sociedade”, completa Marlene, que fala mais sobre o congresso e o trabalho da AME-Brasil abaixo:
 
Marlene, como começou a história dos Mednesp, os congressos médico-espíritas?
O Mednesp nasceu com a Associação Médico-Espírita de São Paulo (AME-SP), instituição pioneira, existente desde 30 de março de 1968. Mas foi em 1991 que se iniciaram os encontros bianuais, no formato em que o Mednesp se encontra hoje. O evento acontece de dois em dois anos. Até 2007 sempre foi realizado em São Paulo, em 2009 ocorreu em Porto Alegre (RS) e em 2011, em Belo Horizonte (MG). 
 
Foi por meio deles que nasceu a Associação Médico-Espírita do Brasil?
Exatamente. A Associação Médico-Espírita do Brasil (AME-Brasil) foi fundada em São Paulo (SP), em 17 de junho de 1995, durante a realização do Mednesp-95, o 3º Congresso Nacional de Médicos Espíritas, realizado pela AME-SP. Até 1991, quando se iniciaram os encontros nacionais bienais, existiam somente a AME-SP e a AME-MG, fundada em 18 de abril de 1986. A partir de então, fundaram-se outras, em vários Estados do Brasil, possibilitando o surgimento da entidade federal, com a adesão, em 1995, de 10 instituições (AMEs Bahia, Ceará, Campina Grande, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Piauí, Santos e São Paulo). Atualmente, são 53 AMEs no País, incluindo-se as estaduais e regionais.
 
Qual a missão da AME-Brasil?
 Com o surgimento das associações médico-espíritas (AMEs), tornou-se necessária uma entidade que congregasse o movimento médico-espírita nacional, sendo esta, portanto, a sua missão básica. Além de congregar todas as AMEs  municipais, auxiliando em sua atuação, de modo a difundir o Movimento Médico-Espírita nos estados e colaborar com instituições educacionais, assistenciais e órgãos em geral, a entidade tem por finalidade o estudo da Doutrina Espírita e de sua fenomenologia, tendo em vista suas relações, integração e aplicação nos campos da filosofia, da religião e da ciência, em particular da Medicina, procurando fundamentá-la por meio da criação e realização de estudos e experiências orientadas nessa direção. A AME-Brasil deve ainda difundir e preservar o Movimento Médico-Espírita junto a outras classes profissionais liberais e ao público em geral e promover eventos culturais e científicos que levem ao desenvolvimento de seu trabalho.
 
Como a AME-Brasil está composta hoje? 
A Associação Médico-Espírita do Brasil é composta de AMEs municipais que se reúnem por região ou por Estado de modo a tornar o Movimento o mais amplo e abrangente possível, com a participação de todos os colegas que se sintam unificados pelo ideal médico-espírita, podendo contribuir, onde quer que se encontrem. São 53 as entidades no País: AME-ABC, Alagoas, Amapá, Bagé, Bahia, Bebedouro, Campina Grande, Campinas, Carioca, Cariri, Cascavel, Ceará, Chapecó, Distrito Federal, Dourados, Espírito Santo, Estado de Pernambuco, Franca, Goiás, Imperatriz, Lagos, Macaé, Manaus, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Niterói, Nova Friburgo, Pará, Paraíba, Paraná, Pelotas, Piauí, Piracicaba, Ribeirão Preto, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, Santa Maria, Santos, Santo Ângelo, São Francisco, São Paulo, Sergipe, Serra Gaúcha, Sorocaba, Teresópolis, Tocantins, Três Rios, Uberaba, Vale do Paraíba e Volta Redonda. 
 
Quantos profissionais fazem parte do quadro da AME-Brasil?
Pode-se dizer, pelo levantamento das inscrições dos inúmeros eventos, que cerca de 1,2 mil médicos participam dos congressos, cursos, simpósios e outras atividades promovidos pela entidade. Embora haja muitos inscritos nos quadros associativos da AME-Brasil, inclusive nas atas de fundação, reuni-los, periodicamente, não é tarefa fácil, tendo em vista a natureza do trabalho que realizam, nem sempre compatível com horários fixos, fato facilmente observável nas reuniões comuns de nossas entidades de classe. Nos eventos da entidade, realizados em várias regiões do Brasil, verifica-se que cerca de 25 a 30% são constituídos de médicos. Nos cargos de diretoria das AMEs só há médicos, mas muitas delas têm departamentos, como os de Psicologia, Física e outros, que funcionam com seus regimentos internos, e integram-se, perfeitamente, ao trabalho, dentro do conceito holístico que a entidade abraça, fazendo parte das equipes multidisciplinares, necessárias aos estudos, pesquisas e atividades em andamento.
 
O que a AME faz de diferente de uma associação médica normal?
A Associação Médico-Espírita procura levar a alma para a Medicina, em seu duplo sentido. Estuda, pesquisa e procura comprovar a existência do espírito imortal e, ao mesmo tempo, ressalta o valor do calor humano, da solidariedade, no amparo ao paciente. Sua proposta, portanto, é a de mudança de paradigma, tendo em vista que saúde e doença são muito mais atributos da alma do que do corpo físico. Na visão espírita, portanto, a constituição do ser humano muda, inteiramente. Ele é visto como um ser muito mais complexo, porque é o resultado da integração do espírito aos seus envoltórios: os sutis e o físico. É natural, portanto, que a AME tenha alguns objetivos comuns às associações médicas tradicionais, mas que busque por outros bem diferentes, tendo em vista que, para a entidade, os fenômenos espirituais são prioritários. 
 
Depois de 18 anos de atividades, como se define o momento pelo qual passa a AME-Brasil?
O Movimento Médico-Espírita ainda está em fase de estruturação e sedimentação, mas pode-se dizer que cada AME tem características próprias. Há publicações, cursos, simpósios, congressos, atividades hospitalares e ambulatoriais que mesclam Medicina e Espiritualidade, nas quais a prioridade é respeitar a religião do paciente. Há também projetos de pesquisa. A AME-Brasil também publica livros, revistas e boletins informativos, participa de campanhas contra o aborto, a eutanásia e as manipulações genéticas com finalidade eugênica, entre outras.
 
A AME já estendeu suas atividades para uma associação internacional?
Sim, em 1999, durante o I Encontro Internacional de Médicos Espíritas, foi criada a Associação Médico-Espírita Internacional (AME-Internacional), que, na ocasião, contava com a participação do Brasil, Panamá, Portugal, Argentina, Colômbia e Guatemala.
 
De forma resumida, sobre o que, basicamente, as pesquisas já publicadas pela AME tratam?
Elas tratam, principalmente, da interferência da energia vital no organismo e da influência da espiritualidade na melhora da qualidade de vida do indivíduo.
 
O que será discutido no Mednesp e como ele estará dividido?
O evento discutirá os desafios do paradigma médico-espírita no ensino, na pesquisa e na prática clínica. No auditório Dois Williams, que homenageia dois vultos da ciência – William Crookes e William James – serão abordados assuntos científicos mais profundos e que têm particular interesse para os médicos, a fim de se trabalhar no desenvolvimento e na implantação do paradigma médico-espírita, tanto nas universidades quanto na própria práxis médica de todos os dias. No grande auditório serão expostos assuntos de saúde que sejam úteis ao público que acompanha o trabalho da AME há cerca de 20 anos e que se amplia a cada ano, uma vez que as pessoas vêm demonstrando cada vez mais interesse pelo modelo construído, porque vem ao encontro dos anseios de progresso da própria sociedade.
 
Que temas serão abordados?
No primeiro dia do evento, no auditório Dois Williams, sob o tema Da Poeira de Estrelas ao Ser Humano Cocriador, serão abordados tópicos importantes, como o alvorecer da vida no planeta, a conquista do pensamento contínuo, a consciência não local e o cérebro quântico, a ligação espírito-cérebro-mente-citoplasma, para culminar com a conquista da saúde e da autotranscendência, que dará a cada criatura a possibilidade de colaborar mais diretamente com a obra do Criador. Nesse auditório, nos dias seguintes, a saúde será abordada como um bem fundamental que se conquista ao longo dos milênios. Dessa forma, serão expostos os novos conceitos de saúde e as pesquisas científicas já conquistadas até agora no âmbito das próprias AMEs.
No mesmo dia, no grande auditório, o painel Do Alvorecer ao Poente da Vida Humana enfocará, ao longo do dia, da concepção à velhice, passando pelo período infantil, adolescência e maturidade. Nos demais dias, a saúde será discutida como um bem fundamental em construção, procurando enfocar muitas doenças à luz da espiritualidade, bem como assuntos éticos importantes, como os dilemas éticos no término da vida, os transplantes, as células-tronco, a humanização da medicina, etc.
No terceiro auditório serão discutidos assuntos especiais como homeopatia, dependência química, terapêutica complementar espírita: passes e assistência espiritual nos hospitais e nos institutos de saúde. 
 
É a primeira vez que um evento como esse acontece no Nordeste?
Sim, é primeira vez que acontece no Nordeste, desde que deixou de ser realizado em São Paulo a partir de 2009. Maceió foi escolhida porque a candidatura da cidade foi apresentada e defendida pelo presidente da Associação Médico-Espírita de Alagoas (AME-AL), dr. Ricardo Santos, e seus colaboradores. A cidade tem um centro de convenções de grande porte, que permite a realização de um amplo evento. 
 
Quantas pessoas são esperadas?
No Mednesp de 2009, em Porto Alegre (RS), compareceram 1,3 mil pessoas, e dois anos depois, em Belo Horizonte (MG), 1,1 mil pessoas participaram do evento. Esperamos chegar em 2 mil participantes nesta edição.
 
É preciso ser médico para participar do Mednesp?
Não, o evento é aberto a profissionais de Saúde no geral e público leigo.
 
Como deve fazer quem quiser se inscrever para o Mednesp? 
As inscrições podem ser feitas pelo site do Mednesp 2013: https://mednesp2013.amealagoas.com.br/
 
O Mednesp 2013 está nas redes sociais? Se sim, com quais canais?
Sim, o Mednesp 2013 está presente no twitter (@AME_Alagoas), Facebook e Google + da AME-Alagoas; e twitter (@AME_Brasil) e Facebook da AME-Brasil.
Quem tiver interesse no conteúdo dos demais congressos realizados pela AME tem como ter acesso aos conteúdos das palestras?
Sim, a AME-Brasil tem à venda uma série de DVDs com o conteúdo de alguns congressos. Eles podem ser adquiridos na loja virtual da AME-Brasil, no site WWW.amebrasil.org.br

Loja de Livros

Procure um Livro

Publicações Recentes